Skate

A primeira vez que se ouviu falar em Skate foi no final dos anos 60, na Califórnia, Estados Unidos. Diz-se que a sua origem deveu-se aos surfistas Californianos, nos dias em que não havia ondas, se lembraram de pregar rodas de patins em tábuas com a forma de pranchas de Surf e descer as rampas e ladeiras de Los Angeles

O Skate conta com quatro estilos bem diferentes:

* Vertical: Praticado em rampas a partir de dois metros de altura, em forma de “U” e chamadas Half-Pipes.

* Freestyle: Com tábua, rodas e eixos mais pequenos, que pode ser praticado em pequenos espaços, usando o piso como único obstáculo.

* Downhill: Para os puristas, que consiste em descer rampas e estradas inclinadas e sinuosas à maior velocidade possível.

* Street: O mais praticado em todo o mundo, e para qual vale tudo, ou quase! A procura de obstáculos no meio urbano.

Para além da sua componente marcadamente desportiva, tal como o Surf, o Skate tem uma componente de lifestyle muito importante.

Actualmente, há milhões de praticantes e adeptos em todo o Mundo. O Skate tem como a maior referência o Americano, Tony Hawk, que deu o seu nome a um dos videojogos mais vendidos de sempre.

2016 foi um ano marcante para a disciplina com a sua inclusão nos Jogos Olímpicos.

O Quadro Competitivo Nacional incluía:

– O Circuito Nacional de Skate, com três categorias, Iniciados, Amadores e Profissionais.

Esta disciplina esteve sob tutela da FPS até ao início de 2017, estando actualmente sob tutela de outra federação desportiva.