A sua língua:

Kikas nas meias enquanto Portugal batalha em meio-metro chinês

Portugal não entrou da melhor maneira na China Cup que hoje arrancou em Hainan e termina já amanhã (o primeiro dia foi dedicado exclusivamente à cerimónia de abertura). De todos os atletas da Selecção orientada por José Braga e Pedro Barbudo, apenas Frederico Morais conseguiu evitar ser remetido às repescagens, chegando mesmo às meias-finais de qualificação, onde vai defrontar Kaito Ohashi, do Japão, Deivid Silva, do Brasil, e o australiano Connor O\'Leary.

Entretanto, na competição Open, tanto João Guedes e Eduardo Fernandes perderam as respectivas baterias em quarto lugar. Vasco Ribeiro esteve pouco melhor, perdendo em terceiro, atrás de Connor O\'Leary e de Deivid Silva. A diferença, na prática, não existe, com todos a terem de começar o percurso de repescagens desde a primeira ronda e, assim, tentar chegar à finalíssima da competição.

Recordamos para quem está pouco familiarizado com este formato que os atletas podem chegar à finalíssima através do percurso de qualificação ou, se perderem neste, através das repescagens. Contudo, se ficarem abaixo do segundo lugar nas repescagens, são automaticamente eliminados.

Na competição feminina, o fado repetiu-se com Carina Duarte e Maria Abecasis a serem arredadas para as repescagens logo na primeira ronda.

Para a fraca prestação da maioria dos portugueses contribuiram as condições fraquíssimas do mar, com as ondas maiores a rondarem o meio-metro e com vento desfavorável (onshore).

No entanto, o balanço não é desastroso, pelo que, além da posição mais vantajosa de Frederico Morais, todos os outros portugueses podem ainda chegar às finais, sublinha o Director Técnico Nacional, Rui Félix:

\"Fomos muito condicionados pelas condições do mar. É certo que são iguais para todos, mas com ondas tão pequenas e inconsistentes, o factor sorte ganha outra força. E há Selecções que se dão melhor com estas ondas, como é o caso do Brasil. Mas temos ainda hipóteses de chegar longe através das repescagens. Isto apesar de o tal factor sorte estar ainda mais evidente pelo facto de as baterias de repescagem durarem apenas 15 minutos. Nestas circunstâncias, e com este mar, quem apanhar uma boa onda tem a vitória na mão.\"

Cartão de Saúde FPS